top of page

Italian Thought News - Febbraio 2023

NEWS: dal 21 febbraio 2023 al 21 marzo 2023


Novità editoriali

Libri

1)

G. Guercio, Antidestino. Quattro esempi dell’arte italiana 1965-1983, Cronopio, Napoli 2022, 218 pp.




2)

G. Patella, Ingegno Vico. Saggi estetici, Edizioni ETS, Pisa 2022, 144 pp.





3)

C. Pianciola, La persona laica. Norberto Bobbio nel Novecento filosofico, Biblion Edizioni (Collana Studi bobbiani), Milano 2022, 278 pp.




4)

L. Scaravelli, Critica del capire, a cura di M. Biscuso e A. Garofano, Istituto Italiano per gli Studi Filosofici Press, Napoli 2022, 320 pp.





5)

T. Garcia, Laisser être et rendre puissant, Puf Editeur (Collection Metaphysique), Paris 2023, 570 pp.





6)

G. Agnoletti, The Italian Dream. L’Italia nello specchio della paraletteratura contemporanea, Quodlibet (Collana Materiali IT), Macerata 2023, 272 pp.





7)

J. Berchtold e P. Allegretti (édité par), La bibliothèque de Dante, Mētis Presses, Genève 2023, 240 pp.





8)

M. Quaranta, L’impresa dei filosofi. Saggi e assaggi sul pensiero italiano del Novecento, a cura di E. Chiari, Edizioni Petite Plaisance (Collana Il giogo), Pistoia 2023, 512 pp.





9)

R. Bodei, Dominio e sottomissione. Schiavi, animali, macchine, Intelligenza Artificiale, Il Mulino, Bologna 2023, 408 pp.





10)

Ph. Audegean, Violenza e giustizia. Beccaria e la questione penale, Il Mulino, Bologna 2023, 240 pp.





11)

M. Di Feo, Fondamenti di olologia. Ontologia del mondo della vita nella prospettiva dell’intero, Mimesis, Sesto S. Giovanni (MI) 2023.





12)

I. Govrin, Philosophical Archaeology. With and Beyond Agamben on Philosophy, SUNY Press, New York 2023.





Riviste/Journals


13)

Filosofia e generi letterari nel XVIII secolo, a cura di R. Ariano e V. Sperotto, fascicolo 2/2021 della rivista Giornale Critico di Storia delle Idee.


Annunciamo che nel nuovo numero del “Giornale Critico di Storia delle Idee” è stata inaugurata una sezione dedicata all’Italian Thought a cura di E. Lisciani-Petrini.


Per ulteriori informazioni:





14)

Filosofia e storiografia filosofica. Le discussioni di ieri, le riflessioni di oggi, a cura di M. Biscuso e J. Salina, fascicolo 2/2022 della rivista Filosofia italiana.


Per ulteriori informazioni:




***


Eventi


1)

Seminario

20 – 23 febbraio 2023 (ore 16), Istituto Italiano per gli Studi Filosofici, Napoli, via Monte di Dio 14

F. Lomonaco (Università di Napoli “Federico II”) e A. Bocchetti (Università di Napoli “Federico II”), La Scienza Nuova di Vico e la sua ricezione

Per ulteriori informazioni:






2)

Giornate di studio


23 e 24 febbraio 2023 (ore 9.30), Istituto Italiano per gli Studi Filosofici, Napoli, via Monte di Dio 14

A proposito di Vico: giornate di studio in onore di Alain Pons, a cura di A. Bocchetti (Università di Napoli “Federico II”)


Per ulteriori informazioni:







3)

Convegno


1 e 2 marzo 2023 (ore 10), Istituto Italiano per gli Studi Filosofici, Napoli, via Monte di Dio 14


Filosofia, antropologia e teologia politica nel Novecento


Con: G. Anselmo, B.M. Esposito, A. di Gesu, F. Monateri, M. Pagan, G. Parrino


Per ulteriori informazioni:







4)

Seminario


1 – 3 marzo 2023 (ore 16), Istituto Italiano per gli Studi Filosofici, Napoli, via Monte di Dio 14


R. Esposito (SNS Pisa), Genealogia del pensiero istituente


Per ulteriori informazioni:






5)

Seminario


4 marzo 2023 (ore 10), Istituto Italiano per gli Studi Filosofici, Napoli, via Monte di Dio 14

M. Recalcati (IULM, Università di Pavia, IRPA), Attualità di Sartre. I paradossi del desiderio

Per ulteriori informazioni:




6)

Seminario


6 – 8 marzo 2023 (0re 16), Istituto Italiano per gli Studi Filosofici, Napoli, via Monte di Dio 14

P. Vinci (Università di Roma “La Sapienza”), La Fenomenologia dello Spirito di Hegel e la sua ricezione


Per ulteriori informazioni:


7)

Seminario


7 marzo 2023 (ore 15), Pontificia Università della Santa Croce (Aula Álvaro del Portillo)

A. Giacone (Università di Pavia), Monismo o pluralismo? Whitehead tra Spinoza e Leibniz

Per ulteriori informazioni:


8)

Giornata di studi


17 marzo 2023 (ore 16), Istituto Italiano per gli Studi Filosofici, Napoli, via Monte di Dio 14

Filosofia e meraviglia. In ricordo di Enrico Berti


Per ulteriori informazioni:






9)

Seminario


18 marzo 2023 (ore 16), Istituto Italiano per gli Studi Filosofici, Napoli, via Monte di Dio 14

G. Farina (Università di Roma Tre), Attualità di Sartre. Libertà e alienazione


Per ulteriori informazioni:






***

Call for papers


1)

Society for Italian Philosophy (SIP), Sixth Annual International Conference: 8 – 10 June 2023, University of Toronto (CANADA)


We invite individual paper or panel proposals on themes and questions of philosophical relevance taken up by Italian thinkers.

We also invite individual paper or panel proposals that look at figures in the history of philosophy as they are taken up by Italian thinkers.

Finally, we invite individual paper or panel proposals of a philosophical nature on Italian thinkers throughout history.


Abstracts (in English) of 350-500 words should be sent to Antonio Calcagno (acalcagn@uwo.ca) and Silvia Benso (silvia.benso@rit.edu) by February 28, 2023. For panel proposals (three presenters maximum), please submit a 350-word panel overview and individual abstracts (350-500 words) for each paper. All submissions are reviewed anonymously.


Acceptance notifications will be sent out by the end of March 2023.


For further queries, please contact Silvia Benso (silvia.benso@rit.edu) or Antonio Calcagno (acalcagn@uwo.ca)





2)

Unioeste – Revista Aoristo

Dossiê “Dilthey e Heidegger: confluências hermenêuticas”, chamada de trabalhos [CALL FOR PAPERS] – Vol. 7 (2024)

Org.: Deborah Moreira Guimarães (UERJ) e Luís Gabriel Provinciatto (PUC/Campinas)

Submissões até 30 de setembro de 2023

A revista Aoristo: International Journal of Phenomenology, Hermeneutics and Metaphysics divulga a chamada de trabalhos para selecionar artigos inéditos, resenhas e traduções para o próximo número.

As obras de Wilhelm Dilthey (1833-1911) integram, reconhecidamente, aqueles inúmeros projetos filosóficos que buscaram uma fundamentação para o conhecimento, situando-se, por um lado, à esteira do projeto crítico de Kant e, por outro, à esteira da historicização das categorias kantianas levada a cabo por Hegel. Em suma, trata-se de um projeto que pretendeu estabelecer fundamentalmente uma crítica da razão histórica, a qual pressupõe a conciliação entre a historicidade elementar do existir e o caráter compreensivo da vida, ou seja, a crítica diltheyana pressupõe uma razão que se funda na história, assumindo como ponto de partida a própria vida e as dimensões compreensiva e expressiva que a constituem. Isso aponta, indubitavelmente, para a relação entre vivência, expressão e compreensão, característica própria da tradição hermenêutica, na qual Dilthey se situa, porém, não no sentido de apenas procurar estabelecer uma doutrina geral para leitura de textos históricos, mas no de entender que a hermenêutica é o modo de trabalho específico das ciências humanas (Geisteswissenschaften).

À base do projeto filosófico de Dilthey se encontra a tentativa de apreensão e compreensão da própria vida humana, como o próprio autor dá a ver em A construção do mundo histórico nas ciências humanas: “a suma conceitual daquilo que emerge para nós no vivenciar e no compreender é a vida como uma conexão que abrange o gênero humana. Ao nos defrontarmos agora com esse grande fato – que, para nós, não é apenas o ponto de partida das ciências humanas, mas também o da filosofia –, é preciso retornar a um momento anterior à elaboração científica desse fato e apreender o fato mesmo em seu estado bruto”.

De fato, seus contributos para a consolidação das ciências humanas e para a hermenêutica filosófica o posicionam como um dos grandes filósofos do século XIX. No âmbito da História da Filosofia ocidental, podemos reconhecer inúmeros diálogos convergentes, mas a presença de Dilthey e o impacto de sua hermenêutica histórica para a construção e consolidação da Filosofia Contemporânea ainda é um tema pouco esmiuçado no Brasil.

Ao mesmo tempo, é notável a importância de Dilthey para Martin Heidegger (1889-1976), como reconhece o próprio autor em um texto de caráter autobiográfico intitulado Um olhar retrospectivo sobre o caminho: “a real iniciação no procedimento da ‘fenomenologia de Husserl […] permaneceu desde o início sem qualquer concordância; o caminho próprio me levou a uma meditação sobre a história – confrontação com Dilthey e o estabelecimento da vida como realidade efetiva fundamental”. Essa influência se mostra, sobretudo, na transformação hermenêutica da fenomenologia levada a cabo por Heidegger, para quem a concepção de hermenêutica, como bem sabido, não diz respeito à doutrina de interpretação de textos históricos, mas ao modo como a vida, em sua facticidade, deixa-se conhecer imediatamente a si mesma, o que faz da vida fática o fenômeno originário da investigação fenomenológica. Para Heidegger, então, a fenomenologia terá como um de seus eixos centrais a ideia de vida fática, partindo do modo como esta se dá a conhecer (se compreende) a si mesma, o que conduz à singular importância da situação hermenêutica.

A confluência entre a proposta de Dilthey e a de Heidegger torna-se inegável. Dessa forma, o dossiê Dilthey e Heidegger: confluências hermenêuticas tem em vista acentuar, sobretudo, dois aspectos constitutivos da relação entre esses dois filósofos e sua relevância para o pensamento contemporâneo: (1) a contribuição de Dilthey no contexto da origem da filosofia e do pensamento contemporâneo, uma vez que suas contribuições repercutem não só na hermenêutica filosófica, mas em diversas áreas das ciências humanas; e (2) o caráter hermenêutico da fenomenologia heideggeriana e, por correlação, a virada hermenêutica da fenomenologia.

Nesse sentido, convidamos pesquisadores e pesquisadoras a enviar contribuições acerca das confluências entre Dilthey e Heidegger, de suas possíveis continuidades e/ou rupturas e, principalmente, contribuições acerca de seus projetos filosóficos, ambos de caráter evidentemente hermenêutico. Portanto, serão acolhidos artigos que visem: 1) reconstruir pontos de diálogo e confluência entre Dilthey e Heidegger; 2) trazer contribuições inéditas e originais sobre a virada hermenêutica da fenomenologia; 3) explorar o impacto da crítica da razão histórica no pensamento de Heidegger; 4) acentuar a relevância do pensamento diltheyano e sua repercussão na filosofia heideggeriana; e 5) identificar e problematizar pontos de divergência entre Dilthey e Heidegger.

Aceitaremos submissões em português, espanhol, alemão, inglês, francês e italiano.

Artigos são exclusivos para doutores (mestres/doutorandos podem publicar em coautoria com doutores).

Para mais informações, acesse:


Link:


3)

“Il Pensiero. Rivista di filosofia”, n. LXII/2 – Omaggio a Carlo Sini.



312 visualizzazioni

Post recenti

Mostra tutti

Commentaires


bottom of page